A endometriose atrapalha sua vida sexual?

É cada vez mais recorrente ouvir falar sobre endometriose, afinal, seis milhões de brasileiras recebem esse diagnóstico entre 25 a 35 anos de idade. Mas, o que é endometeose e quais as consequências na vida sexual?

A endometriose é ação inflamatória provocada por células do endométrio, que é uma mucosa que reveste a parede interna do útero, preparando a mulher para uma possível gravidez a cada novo ciclo menstrual.

Quando a mulher não engravida essa mucosa descama, o que gera o fluxo menstrual. Em vez de ser expelido, o fluxo migra no sentido oposto e vai em direção aos ovários, na cavidade abdominal, ou até mesmo em outros órgãos, causando aderências.

O sintomas

Alguns sintomas causados pela endometriose são: cólicas, dismenorreia, dores na relação sexual com penetração, infertilidade, e outras. Essas queixas acabam prejudicando a vida sexual de quem é acometido.

Mulheres que sentem dor durante a relação sexual, acabam tendo falta de interesse e dificuldade acima do normal para ter orgasmo. Além disso, também está associada à baixa autoestima, ansiedade e depressão.

Outro aspecto que influencia a vida sexual, é no caso de infertilidade, onde 50% das mulheres com endometriose tem infertilidade. O principal fator é o tubário, onde as tubas uterinas podem ficar danificadas por um processo inflamatório crônico, que leva à formação de aderências, o que pode resultar na obstrução das tubas uterinas e na redução da sua mobilidade.

Nesses casos, o próximo passo na tentativa de engravidar é através da reprodução humana, com a fertilização in vitro (FIV). Esse processo gera no casal frustração, angústia, tristeza e muita ansiedade, ocasionada pela dúvida quanto ao êxito da FIV.

Isso impacta diretamente no relacionamento do casal, causando possíveis desgastes e falta de interesse na relação sexual, por ter sentimento de culpa e de incapacidade em gerar uma gravidez de forma natural.

O que fazer?

Mulheres que passam por esse processo devem procurar a ajuda de um médico especializado, para auxiliar na sugestão de melhorias, sejam através de medicações ou possíveis cirurgias, no caso de dores na relação sexual.

Para casais que precisarão passar por um processo de reprodução humana, também devem procurar profissionais especializados na área para conduzir o tratamento.

Além disso, o apoio emocional com um psicoterapeuta é fundamental durante todo o tratamento, no sentido de trabalhar todos os sentimentos que envolve essa descoberta, auxiliando na redução da ansiedade, da depressão, e aumento da autoestima. O sexólogo também pode colaborar na melhoria da relação sexual entre os parceiros que devem buscar conhecer mais o seu corpo e outras fontes de prazer.

Ter um diagnóstico correto e a busca de tratamentos efetivos trará benefícios não somente para a vida sexual, mas para uma qualidade de vida e bem-estar em todos os aspectos.

COMPARTILHE :
Últimas Postagens

Infância

Infância é o período de crescimento que vai do nascimento à puberdade, ou seja, do zero…

Ser mulher no meio de uma pandemia

Nós mulheres, carregamos há tempos, um acúmulo de papéis que demandam nosso tempo e dedicação.…

Quem nunca recorreu ao Dr. Google ao sentir-se mal?

Se você pesquisar agora o termo “dor de cabeça” no Google encontrará 72 milhões de…
×

CLIQUE EM UM DE NOSSOS ATENDENTES

× OLÁ, POSSO TE AJUDAR?